segunda-feira, 3 de abril de 2017

Biografia no 30º ano de falecimento do Cônego Olejnik

A primeira edição do livro Cônego Olejnik, Getúlio Vargas, 1959 – 1987 acaba de ser impressa e deve ser lançada em breve. A obra de 125 páginas é assinada pela professora Marli Elicker Camargo, resultado do trabalho de graduação em História realizado na Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e Missões (URI), Campus Erechim.

Capa do livro
Cônego Olejnik, Getúlio Vargas, 1959 – 1987

         O personagem central do trabalho acadêmico é o religioso Cônego Stanislaw Kostka Olejnik que viveu os últimos 28 anos de sua vida na cidade de Getúlio Vargas. A pesquisadora esclarece no primeiro parágrafo de apresentação do livro que não conheceu pessoalmente o personagem de seu estudo, pois fixou residência no município um ano e meio após sua morte. E ainda que sua família integra a Igreja Evangélica Luterana do Brasil. Os dois fatos corroboram na imparcialidade da obra.
         O interesse pelo tema foi espontâneo revela Marli Elicker Camargo. Ela conta que percebeu já nos primeiros dias em que transferiu residência para a cidade o carinho e a admiração pelo Padre Polaco, como também ficou conhecido. Em que pese o forte imaginário popular em torno de sua figura a pesquisa esbarrou inicialmente na precariedade das fontes. O problema inicial foi sanado pelo uso da História Oral, metodologia de pesquisa que consiste em realizar entrevistas gravadas com pessoas. E não faltaram depoimentos ricos em detalhe que podem ser conferidos na obra.
         O segundo capítulo é dedicado à Polônia, terra natal do Cônego. Natural de Kalisz nasceu no dia 29 de setembro de 1909 e ainda na infância sofreu as agruras da 1º Guerra Mundial e viu sua cidade natal ser praticamente destruída. A autora registra sua entrada no Seminário e a data de sua ordenação, aos 24 anos de idade. De igual sua prisão pelos nazistas em agosto de 1940 e os cinco anos em que passou no campo de concentração de Dachau, no sul da Alemanha, de onde só saiu após a vitória dos aliados.
         Na terceira parte do livro a autora revela a decisão de trocar a Europa pelo Brasil. Durante o ano de 1953 o sacerdote trabalhou na cidade de Barão do Cotegipe, onde aprendeu falar português. De janeiro de 1954 a janeiro de 1959 ele foi vigário na Paróquia Santana, em Carlos Gomes, aonde segundo a autora mais de 90% da população era de origem polonesa.
         O período em que viveu em Getúlio Vargas aonde chegou nem janeiro de 1959, é rico em detalhes. Seu trabalho pastoral junto a Paróquia Imaculada Conceição, a conclusão das obras da Igreja Matriz e a relação com a comunidade são descritos de minuciosamente. O mesmo em relação à atenção dada aos menos favorecidos e a construção de uma capela e de uma escola no Bairro Monte Claro.
         O quarto e último capítulo é dedicado aos seus últimos anos de vida. O Cônego Olejnik faleceu no dia 19 de abril de 1987, aos 78 anos. Mais de sete mil pessoas participaram das cerimônias de despedida e acompanharam seu corpo até o Cemitério Municipal de Getúlio Vargas. Ao longo das últimas três décadas o Mausoléu onde está sepultado é visitado por fiéis em busca de graça ou para agradecer. Os depoimentos e entrevistas estão no final da obra. Os interessados em adquirir o livro podem solicitar diretamente a autora através do e-mail marlielicker@hotmail.com

Publicado no caderno Efoque, jornal A FOLHA REGIONAL, edição de 31 de março de 2017.
Matéria assinada por Neivo A T Fabris - Editor do semanário. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário