quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Câmara de Vereadores de Getúlio Vargas


Programa do Instituto Legislativo Brasileiro oferece a todas as câmaras

municipais do País um portal para internet totalmente gratuito

 

            A Câmara de Vereadores de Getúlio Vargas está participando, desde a última segunda-feira, 27, no Instituto Barão do Rio Branco, da Oficina Interlegis sobre as ferramentas Portal Modelo para internet e Sistema de Apoio ao Processo Legislativo (SAPL), que está sendo ministrada por técnicos do Programa Interlegis, vinculado ao Instituto Legislativo Brasileiro, do Senado Federal.

Representam o Poder Legislativo Getuliense no treinamento a Diretora Administrativa Cristiane Piccoli Dalapria e a Assessora Jurídica Rosane Cadorin. O objetivo do Presidente da Câmara de Vereadores de Getúlio Vargas, Daniel Fernandez, com a adoção deste novo Portal, é ampliar a transparência, cumprindo a Lei de Acesso a Informação, inclusive com acessibilidade. Segundo ele, este novo site vai usar o Open Source Content Management System Plone e foi projetado para ser completamente acessível e usável, estando em conformidade com as Diretrizes de Acessibilidade para Conteúdo Web.

Para facilitar a rotina das Câmaras, o Programa Interlegis desenvolveu e mantém o Sistema de Apoio ao Processo Legislativo, uma ferramenta que informatiza o Processo Legislativo, sem custos financeiros para as Câmaras de Vereadores. O SAPL simplifica a atividade do parlamentar e dos servidores, além de colaborar com a transparência da Casa, pois permite que os cidadãos conheçam a produção legislativa dos parlamentares, acompanhem o processo legislativo e façam pesquisa à legislação.

O Portal Modelo é gratuito, está pronto para uso e permite que a Casa Legislativa crie e publique o seu próprio site na internet de forma autônoma e sem a necessidade de contratar serviços especializados. O Portal e sua hospedagem são oferecidos gratuitamente. O Senado possui o programa desde o ano de 1997, implantando em diversas Câmaras Municipais de todo o Brasil produtos de baixíssimo investimento, como forma de colaborar com o Legislativo brasileiro.

            A Oficina conta com a participação também das Casas Legislativas de Erechim, Montenegro, Alfredo Wagner (SC), Serafina Correa, Centenário do Sul (PR), Jacutinga, Lajeado do Bugre, Montenegro, Zortea (SC) e Vanini.

O Portal Modelo teve 17 horas aula entre os dias 27, 28 e 29 e o SAPL uma carga horária de 18 horas entre os dias 29, 30 e 31. Entre os temas, a Gestão do Conteúdo, administração do Portal e a Customização do Portal. Conhecendo o SAPL em pleno funcionamento; consultas a casas legislativas que já o utilizam, inserindo dados dos parlamentares das comissões, das composições das Comissões permanentes, das matérias legislativas, tipos de proposituras; autorias, criação e recebimento de proposições, tramitação de matérias legislativas, além de outros temas. 

Fonte: Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Vereadores

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Polícia prende traficantes que abasteciam classe alta de Erechim

 
Ação integrada entre a Polícia Civil e a Brigada Militar desmantelou uma quadrilha de tráfico de drogas que fornecia cocaína para dependentes químicos da classe alta de Erechim nesta quarta-feira, 29 de outubro.
No total, quatro pessoas foram presas e uma se encontra foragida. Além disso, os policiais apreenderam 24 buchas de cocaína, uma espingarda e munição.
A operação, denominada Cia do Pó, pois os traficantes administravam o negócio como uma empresa, envolveu 71 policiais (35 civis e 36 militares), quatro delegados de polícia e 27 viaturas de toda a região Alto Uruguai.
A ação foi desencadeada ainda na madrugada. Por volta das 6h30min, os agentes partiram em comboio para efetivar o cumprimento de nove mandados de busca e apreensão e seis de prisão preventiva.
Segundo o delegado titular da Defrec (Delegacia Especializada de Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas), Gustavo Vilasbôas Ceccon, que coordenou a investigação de três meses, “o principal objetivo era realizar as prisões, a apreensão da droga e da arma só corroborou ainda mais a investigação. Já possuíamos provas suficientes contra os envolvidos”.
Em entrevista coletiva, pela manhã, o delegado regional de Polícia Civil, Gerson Fraga, e o capitão da Brigada Militar, André Konigonis, ressaltaram o resultado positivo de mais uma ação conjunta entre as forças policiais.
Juntamente com o delegado Ceccon, agradeceram à comunidade que tem sido efetiva nas denúncias e pediram para que a população continue colaborando. “Todas as denúncias são averiguadas. Às vezes pode demorar um pouco para que a população veja o resultado, mas ele vem, porém as investigações às vezes são complexas e demoradas”, disse Ceccon.

As prisões
A operação Cia do Pó resultou nas prisões de Jéssica Carina da Silva Cechet, 20 anos, Edimar Machado de Oliveira, 31 anos, Luis Felipe da Silva Cechet, 18 anos e Adriano Gomes, 18 anos. Adriano e Luis foram presos em flagrante por tráfico, os outros mediante o cumprimento dos mandados. Ainda está foragido o homem apontado como líder da quadrilha, Júlio Cesar Cechet.
Todos devem responder por tráfico de drogas, associação para o tráfico de drogas e alguns, ainda por corrupção de menores.
Um casal de adolescentes, ele, 16 anos, e ela, 15 anos, foram encaminhados para a Delegacia de Polícia para esclarecimentos. A polícia comprovou o envolvimento de ambos com o tráfico.

A investigação
Se deslocando pela BR 153, o comboio da polícia se dividiu em equipes que se deslocaram para os bairros Progresso, Atlântico e Peccin. Devido ao horário, os envolvidos foram presos em casa.
A ação foi resultado de uma investigação que se estendeu por três meses e, em setembro já havia culminado na prisão de Márcia Simone Machado da Silva, 35 anos, e Jéssica, que devido ao fato de estar grávida, recebeu o benefício da prisão domiciliar. Com elas a polícia apreendeu cerca de um quilo de cocaína, que vendida no varejo, renderia aos traficantes R$ 80 mil.
A prisão de ambas deu início à investigação, que conseguiu reunir provas para solicitar a prisão dos outros envolvidos e detectou três pontos de venda da droga.

A quadrilha
A quadrilha desmantelada nesta quarta-feira era formada pelos membros da família Cechet que foram presos, um irmão de Júlio e amigos, entre eles os adolescentes.
“Era uma quadrilha que comercializava principalmente cocaína. Vendia para pessoas da classe alta do município. A cocaína é uma droga cara, uma bucha com 0,5 gramas custa R$ 40,00”, explica o delegado Ceccon.
Com o tráfico de drogas, o bando movimentava cerca de R$ 1,5 mil/dia, em Erechim.
“A droga era trazida do Paraguai pelo líder (Júlio), que distribuía para os pontos de venda e ajudava na comercialização. Ele possui emprego lícito, como representante de vendas para uma empresa, assim suas viagens são constantes”, relata o delegado.
Ceccon conta ainda que “a família administrava o tráfico como uma empresa. Cada um tinha uma função e todos ajudavam na comercialização”.



Por Alan Dias
Fonte: Jornal Boa Vista

Supermercados projetam crescimento de 6,6% nas vendas de Natal e Ano-Novo

O crescimento moderado da economia brasileira em 2014 não afetou o otimismo dos supermercadistas com relação às vendas de fim de ano no Rio Grande do Sul. É o que mostra estudo encomendado pela Associação Gaúcha de Supermercados ao Instituto Segmento Pesquisas e divulgado nesta segunda-feira (27) pelo presidente da Agas, Antônio Cesa Longo, que aborda Natal e Ano-Novo na perspectiva de consumidores e supermercadistas. A pesquisa, que ouviu 200 consumidores de 18 a 65 anos de diferentes classes sociais, entre 3 e 13 de outubro, e 20 diretores de empresas do setor de todos os tamanhos e regiões do Estado, mostra que os empresários do setor projetam um crescimento nominal de 6,6% nas vendas em relação ao Natal e Ano-Novo de 2013.

 
Presidente da AGAS Antônio Cesa Longo.

O que ficará nos caixas do setor
 

A pesquisa do Instituto Segmento avaliou as intenções de compra, as projeções de vendas e as variações de preços de 21 itens de alta procura no período festivo de fim de ano. Do total destes produtos avaliados, 15 serão comprados majoritariamente em supermercados e, em média, 49,9% dos gastos totais dos entrevistados com as festas de final de ano vão ficar nos caixas do setor. Entre os 200 consumidores ouvidos, o gasto médio em supermercados será de R$ 514,01 para o Natal e o Ano-Novo.

 Segundo estimativas da Agas, os supermercados gaúchos vão absorver cerca de R$ 2 bilhões dos cerca R$ 9,5 bilhões a serem injetados na economia gaúcha pelo 13º salário.

 Os gastos dos consumidores

Além dos produtos alimentícios e bebidas, os supermercados também são o local escolhido para as compras de presentes por muitos gaúchos. “A proximidade de casa e as facilidades de pagamento são fatores decisivos para estas pessoas que optam por comprar presentes no setor. Os supermercados vão apostar em brinquedos menores e mais baratos, como carrinhos e bonecas, que sempre caem no gosto das crianças”, explica Longo. Segundo os dados do Instituto Segmento, 33,5% de todos os presentes vão ser comprados em supermercados. “Neste caso, os supermercados ganham força na semana imediatamente anterior ao Natal, quando os consumidores vão em busca de presentes menores para amigos, colegas, sobrinhos e outras pessoas do seu convívio. Metade dos presentes comprados na véspera do Natal será adquirida nos supermercados”, projeta o supermercadista.

No caso dos alimentos e bebidas para as festas, 88% dos itens serão adquiridos nas lojas do segmento supermercadista.

 Mais quantidade, menos valor agregado – O maior endividamento dos consumidores resultará, também, na procura por presentes de menor valor. Segundo a pesquisa do Instituto Segmento, os gaúchos estão, entretanto, dispostos a presentear mais pessoas nas festas de 2014: cada entrevistado vai presentear em média seis pessoas – enquanto em 2013 a média era de quatro contemplados com presentes por cada consumidor. “Ainda que esteja mais atento aos gastos, o consumidor quer festejar e segue agraciando as pessoas do seu convívio com presentes”, projeta Longo, destacando que o preço médio dos presentes adquiridos em supermercados ficará em R$ 15,00.

 Questionados sobre quais são os fatores preponderantes para a escolha do seu supermercado, 41% dos gaúchos apontam os preços baixos como principal atrativo; 34,5% o bom atendimento; 14% apostam na variedade dos produtos; e 10,5% valorizam as lojas mais bonitas e bem ambientadas.

 O que não pode faltar – Questionados sobre o que não pode faltar nas festas de fim de ano, os consumidores apontaram para diferentes produtos em cada celebração. Os itens mais lembrados seguem os mesmos das festas de 2013, o peru no Natal e o espumante no Réveillon:

O que não pode faltar no Natal
Total
(%)
O que não pode faltar no Ano-Novo
Total
(%)
Peru
39,0
Espumantes
26,5
Chester
14,5
Lentilha
18,5
Presentes
7,0
Churrasco
12,0
Churrasco
5,0
Porco / Pernil / Costela Suína/ Lombinho de porco
10,5
Panetone
4,0
Cerveja
8,5
Cerveja
3,5
Frutas (uva/ romã,...)
6,5
Ceia
2,0
Carnes
2,5
Doces
2,0
Foguete/Fogos de artifício
2,5
Espumante
1,5
Peixe
1,0
Carnes
1,5
Roupa branca
1,0
Pudim
1,5
Salada de frutas
1,0
Enfeites
1,5
Bebidas em geral
1,0

Mais compras à vista – Com relação aos meios de pagamento, a pesquisa mostra que os gaúchos estão preferindo pagar à vista suas compras: mais da metade dos consumidores apontaram que efetuarão suas compras com dinheiro ou cartão de débito. O pagamento com cheque é um comportamento ultrapassado – menos de 1% dos entrevistados vão pagar desta forma.


Como pretende pagar
2012
2013
2014
À vista
66,0%
32,5%
52,5%
A prazo
33,9%
67,5%
47,5%

As projeções dos supermercadistas

Otimistas, os supermercadistas gaúchos projetam um crescimento de 6,6% nas vendas de Natal e Ano-Novo, na comparação com o ano passado. As vendas específicas para as festas deverão representar 17,4% do faturamento total dos supermercados em novembro e dezembro. Segundo a pesquisa, 50% dos supermercados pretendem fazer algum tipo de promoção neste período festivo, seja com ofertas em catálogo ou com o sorteio de prêmios. As expectativas dos empresários dão conta de que as bebidas, sobretudo refrigerantes e cervejas, vão ultrapassar a carne bovina e as aves natalinas (frangões, perus e chesters) como os itens mais vendidos pelos supermercados nas festas de fim de ano.

Entre os itens que terão maior crescimento percentual em vendas, na comparação com 2013, destacam-se os produtos alimentícios (+11,3%), as cervejas (10,7%) e os refrigerantes (+9,9%).

Carnes estão mais caras

 Em média, os preços dos produtos típicos das festas estão 5,5% superiores aos praticados no ano passado. O principal “vilão” será a carne suína, com alta média de 11,8%. Os cortes bovinos de carne (+10,7%), a cerveja (+9,0%) e os refrigerantes (+6,1%) são outros produtos que despontam entre os que mais subiram de preço na comparação com as festas de 2013. “Entre os brinquedos, o cálculo é difícil, já que 80% dos itens vendidos são lançamentos, pela necessidade do setor identificar o personagem da moda ou o super-herói favorito das crianças no momento”, pontua o presidente da Agas.

Produto
Variação de preços*
Expectativa de vendas*
Panetones
+5,0
+8,3
Perus / Chester / Aves natalinas
+19,1
-5,0
Carnes bovinas
+10,7
+9,8
Carnes suínas
+11,8
+7,3
Refrigerantes
+6,1
+9,9
Cerveja
+9,0
+10,7
Produtos alimentícios
+5,7
+11,3
Bombons
+6,7
+5,7
Vinhos nacionais
+2,6
+2,0
Champanhas/ Espumantes
+4,2
+6,2
Especiarias (passas, nozes, etc...)
+2,5
+2,9
Bebidas destiladas
+3,0
+4,3
Artigos de lazer
+4,9
+8,3
Brinquedos
+3,6
+9,0
Peixes/ Bacalhau
+3,5
+0,8
Vinhos/ Bebidas importadas
+1,2
+1,2
Presentes para a família
+4,8
+7,6
Enfeites para decoração de natal
+6,1
+5,6
Eletrodomésticos
+2,9
+7,1
Roupas
+5,7
0,0
Eletroeletrônicos
+4,0
0,0
Total Geral
+5,5
+6,6


* Variações em relação às festas de 2013

 Mais detalhes das festas de 2014

Espumantes – Os dados do Instituto Segmento mostram uma expectativa de crescimento de 6,2% nas vendas dos champanhes e espumantes. No total, os supermercados gaúchos deverão vender 4,8 milhões de garrafas de espumante – 95% delas produzidas no Brasil.

 Panetones – Cerca de 4 milhões de unidades de panetones serão vendidas pelos supermercadistas neste fim de ano. Os altos custos de produção e as dificuldades de mão de obra novamente vão alavancar a venda de panetones industrializados ante os artesanais, que neste ano serão apenas 8% do total comercializado. “O gaúcho é o maior consumidor per capita de panetone do País, e deverá absorver 12% da produção nacional”, lembra Longo.

O incremento na venda se dá pela antecipação da exposição deste produto, que iniciou em 1º de setembro na maioria das lojas. “Neste ano, os supermercados apostam na variedade de opções para contemplar todos os consumidores deste produto. A variação de preços de um panetone para outro pode ser de até 500%”, destaca Longo.


Aves natalinas – Devido a um aumento na margem do ICMS calculada pelo Governo sobre estes produtos, as aves natalinas (perus, chesters, frangões, etc.) ficarão mais caras no Rio Grande do Sul do que no restante do País, com uma alta de 19% no preço em relação às festas de 2013. Com o aumento nos preços, as vendas de aves deverão cair em média 5% neste Natal. “Ainda esperamos que o Governo corrija esta distorção na substituição tributária das aves a tempo, já que este é apontado como o produto que não pode faltar na mesa dos gaúchos no Natal pelos consumidores”, lembra Longo. Ao total, 850 mil aves (ou 2,7 mil toneladas) serão vendidas pelo setor.


Confira o quadro:


Produto
Quantidade a ser vendida
Faturamento para os supermercados
Ave natalina
850 mil aves
R$ 30,9 milhões
Panetone
4 milhões de unidades
R$ 49,5 milhões
Espumante
4,8 milhões de garrafas
R$ 63 milhões

Outros itens típicos

Carnes – Com uma alta de quase 12% nos preços, a carne suína perderá espaço para a bovina nas festas de 2014. Os cortes bovinos deverão representar 60% do total da venda da sessão de açougue neste Natal e Ano-Novo, com um crescimento de 9,8% na comercialização.

 Bombons – Tradicionais presentes de última hora, os bombons voltarão a ter crescimento no fim de ano de 2014 – a estimativa da Agas é de que pelo menos 6,1 milhões de caixas sejam comercializadas pelo setor, com um crescimento de 5,7% nas vendas em relação ao ano passado.

Os supermercados estão apostando também na alta procura por cestas de Natal, outra opção de presente do setor. “Neste caso, o crescimento esperado é de 5%”, afirma Longo.

 Importados – Ainda que 35% dos supermercadistas ouvidos tenham revelado que aumentaram a compra de produtos importados para as festas de 2014 em relação ao ano passado, os produtos oriundos de fora do Brasil vão representar somente 2,2% das vendas dos supermercados em novembro e dezembro. Os itens mais procurados deverão ser o bacalhau, as frutas cristalizadas e secas, as azeitonas e as bebidas alcoólicas.

 Presentes e brinquedos – Com uma venda de brinquedos abaixo da esperada no Dia das Crianças, os supermercados reabasteceram seus estoques focando em produtos licenciados e de menor valor agregado. “O setor está focado em carrinhos e bonecas, além de jogos e brinquedos educativos da indústria gaúcha”, explica Longo, lembrando que 70% dos brinquedos vendidos deverão ser importados. “Neste caso, o varejista de sucesso será aquele que identificar o grande personagem da moda, que está na cabeça das crianças”, lembra.

 Vagas temporárias – Um em cada três supermercadistas ouvidos trabalham com funcionários temporários nas festas de fim de ano. Destes, 57,1% pretendem aumentar o número de funcionários temporários em relação ao ano passado, neste período.

No total, deverão ser criadas 4,3 mil vagas temporárias de emprego no setor para o período de Natal, Ano-Novo e veraneio. “Pelo menos 20% destes funcionários deverão ser efetivados”, projeta o presidente da Agas.

 Balanço do ano – De acordo com os dados apurados pelo Instituto Segmento, o setor supermercadista gaúcho espera fechar o ano com um crescimento nominal na casa dos 6,6%. Segundo 75% dos supermercadistas ouvidos, a qualidade é o critério preponderante para os consumidores na escolha dos produtos no ponto de venda. Para 95% dos empresários do setor, o consumidor gaúcho ficou mais exigente nos últimos 12 meses.

O setor supermercadista gaúcho deverá finalizar o ano com:

 Faturamento: R$ 23,9 bilhões

Nº de lojas: 4,4 mil

Nº de empregados diretos: 92,3 mil

Os itens que mais cresceram – Conforme os supermercadistas ouvidos pelo Instituto Segmento, os itens que mais se destacaram em vendas em 2014, até agora, foram ventiladores, inseticidas, iogurtes naturais, sorvetes e picolés e espumantes.


O sobe e desce das vendas:


Ventiladores

Em alta Iogurtes naturais Em baixa Baterias e pilhas

Sorvetes e picolés Wafers

Inseticidas Óleo de soja

Espumantes Sopas e caldos

Lenços umedecidos

Cerveja

Pipocas

As principais reivindicações do setor – Questionados sobre quais as principais dificuldades do setor, os supermercadistas apontaram quatro itens como primordiais: a alta carga tributária (15%), as dificuldades de encontrar mão de obra qualificada (10%), vencer a concorrência (10%) e a infidelidade dos clientes (10%).

Projeções para 2015 – O estudo do Instituto Segmento mostra que 70% dos supermercadistas pretendem ampliar ou reformar lojas em 2015.
Com o endividamento das famílias e consumidores cada vez mais atentos e cautelosos, a expectativa é de que o crescimento real do setor para 2015 varie de 3% a 5%.
__________________________
Imprensa AGAS

Francisco Brust

Assessor de Imprensa