quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Tortelli critica anúncio de deslocamento de brigadianos do Interior para a Capital

O deputado estadual Altemir Tortelli participou, nesta segunda-feira, 20, na Assembleia Legislativa, da audiência pública da Comissão Especial de Segurança sobre o aumento de homicídios no Rio Grande do Sul. Na atividade, o parlamentar criticou o anúncio do Governo do Estado, feito pelo secretário-adjunto da Segurança, de que cerca de 400 brigadianos do Interior serão deslocados para a Região Metropolitana de Porto Alegre.



Conforme Tortelli, é um grande erro aprofundar o esvaziamento das forças policiais localizadas nos pequenos municípios, onde as pessoas estão “desesperadas” com o aumento da criminalidade e a falta de efetivo. O deputado citou os casos recentes de assaltos simultâneos a instituições bancárias que geraram pânico nos municípios de Maximiliano de Almeira e Miraguaí.

“A situação da segurança no Interior gaúcho já está caótica, e agora o Governo do Estado anuncia que mais policiais sairão de seus postos para cobrir a Capital”, criticou o deputado, referindo-se ao anúncio do secretário-adjunto de Segurança Pública, Jorge Soares, durante a audiência. “Nós já estamos abandonados no Interior, praticamente sem policiamento. Se isso for concretizado, vamos ver a bandidagem tomar conta dos pequenos municípios”, alertou Altemir Tortelli.

Debate evidencia contradições do Governo

No debate sobre o aumento de homicídios no Rio Grande do Sul, realizado justamente após o final de semana que contabilizou 40 assassinatos, foram destacadas diversas medidas para conter a crise da Segurança no Estado. Os participantes ressaltaram a necessidade de construção de mais presídios para suprir o déficit prisional, a mudança no modelo das unidades carcerárias, mais investimentos e a ampliação do número de servidores nas forças de segurança (Brigada Militar, Polícia Civil, Susepe e IGP).

Para Tortelli, todos esses aspectos são fundamentais para diminuir a violência no Estado, mas o Governo do Estado tem feito exatamente o contrário. O parlamentar lembrou que, desde que assumiu em 2015, o Governo Sartori ainda não finalizou o Complexo Prisional de Canoas, que deverá proporcionar a abertura de 2.400 novas vagas, cujas obras chegaram a 96% de conclusão no Governo Tarso.

Sobre a falta de efetivo, o deputado também criticou a demora de cerca de dois anos do atual governo para chamar os novos servidores que passaram em concurso durante a gestão anterior.

Ainda dentro das contradições no que diz respeito à forma como o Governo Sartori conduz a área de segurança pública, Tortelli mencionou a vinda do presídio federal para o Estado, já acertada com o Governo Federal, que segue o modelo ultrapassado de presídios de grande porte e que abrigará presos de fora do Rio Grande do Sul.


“Não é de se estranhar que vivemos uma das piores crises na segurança pública do Rio Grande do Sul, tendo um Governo que faz justamente o contrário do que recomendam os especialistas da área”, considera Tortelli.

Nenhum comentário:

Postar um comentário