quarta-feira, 19 de abril de 2017

O Caminho das Missões – “A magia das Missões”

Andar a pé ou de bicicleta pelas velhas estradas dos Jesuítas e Índios Guaranis é o que milhares de turistas têm feito nas terras vermelhas das Missões. Entre cidades, Patrimônios Culturais da Humanidade, sítios arqueológicos, museus e a paisagem e cultura do mundo gaúcho, o que permite um verdadeiro mergulho na formação da América latina.



As Missões foram constituídas pelos jesuítas a partir das utopias de Morus, Bacon e Campanella. O Padre Lugon, em seu livro, disse que foi a mais original das sociedades realizadas. Paul Lafargue, em conjunto com Bernstein, Kautski, Plechanov explica que o projeto constituiu um das experiências mais extraordinárias, que jamais tiveram outro lugar.  Também Charlevoix e Muratori reconheceram-na como um modelo sem precedentes de sociedade cristã. A revista Lês Lettres Edificantes et Curieuses, dirigida pelos jesuítas, comparava os guaranis aos primeiros cristãos e descrevia suas comunidades como a realização ideal do cristianismo. Voltaire afirmou que o projeto Jesuítico-Guarani foi um “triunfo da humanidade”. Montesquieu chamou de “primeiro estado industrial da América”.
Em setembro de 2017 se lançará o roteiro de 29 dias do Caminho das Missões, com 710 quilômetros na caminhada que sai da primeira redução de 1609, San Ignácio Guazú, Paraguai – passando pela Argentina – chegando ao Brasil na cidade de Santo Ângelo, última redução dos 30 povos do ano 1707. Os Ministros do MERCOSUL estarão se encontrando em Santo Ângelo no dia 29 de abril para acertarem a data com relação ao que está firmado, que é pedir a benção do Papa Francisco para o Caminho das Missões.
Desde 2002, roteiros de 14 dias partem de São Borja, de 8 dias de São Nicolau e de 3 dias de São Miguel, sempre chegando em Santo Ângelo. Muito mais que um passeio turístico o Caminho das Missões é um roteiro interativo, onde a superação dos desafios pessoais proporcionam uma experiência inigualável de liberdade e autoconhecimento.
Pesquisa realizada no início deste ano indicou que os peregrinos pensam sobre a caminhada: “trouxe-me uma experiência indescritível do ponto de vista emocional, testando limites do corpo físico e alimentando o corpo espiritual com toda a atmosfera que inunda o caminho. Preenche-nos de forma a desfrutarmos sensações inexplicáveis”. Outro diz: “como turismo, paisagens fantásticas de coxilhas com plantações e reservas de matas que nos fazem sublimar o cansaço e desgastes. Vale apena!”. “Aprendi com longas caminhadas que precisamos muito menos do que carregamos na vida. Hoje procuro ser mais leve, viver mais leve, andar mais leve. Essa caminhada é um marco em minha vida”. “É uma experiência única, onde se pode sentir o desvencilhamento de tudo aquilo que incomoda o interior da gente... Essa viagem foi intensa, única e transformadora. Saí do Caminho das Missões com a certeza de que vou voltar”. “Mudou os conhecimentos históricos referentes à vida dos Guaranis e Jesuítas, além das características da cultura gaúcha e seu povo acolhedor”.
No dia 24 de abril, segunda-feira está prevista uma caminhada em grupo que saí de São Borja, no dia 29 de São Nicolau e  dia 4 de São Miguel – todas chegando a Santo Ângelo no dia 7 de maio. Em julho e setembro haverá novas caminhadas de grupos previstos. O Caminho das Missões pode ser feito durante o ano todo e deve ser agendado de forma individual ou participar de grupos em datas de saídas específicas pelo e-mail atendimento@caminhodasmissoes.com.br, ou pelo telefone 55.3312.9632. Maiores informações podem ser buscadas na página www.caminhodasmissoes.com.br.
José Roberto de Oliveira, pesquisadoror.

Nenhum comentário:

Postar um comentário