quinta-feira, 20 de julho de 2017

Palestra show com Jaime Folle aborda o conflito das gerações Baby Boomer, X, Y, Z


Em clima descontraído, o conferencista marcou sua passagem pelo Fórum de Educação
     


   
“Só envelhece quem para de sonhar”. A frase proferida pelo professor e Mestre Jaime Folle marcou a primeira noite do XXII Fórum Municipal de Educação, XIX Fórum Regional de Educação e XVIII Fórum Nacional de Educação, que está sendo realizado em Getúlio Vargas. A conferência, realizada na quarta-feira, 19, no Ginásio da Faculdade Ideau – Campus II, teve como tema “A evolução do mundo e o conflito entre as gerações Baby Boomer, X, Y, Z”.  
Em um clima descontraído, Jaime Folle explanou sobre a evolução do mundo desde 1945, até os dias de hoje, a rapidez nas informações, o estar ON ou OFF e as mudanças no cérebro, mostrando as dificuldades do entendimento entre a geração antiga, baby boomer, com as novas, chamadas de X, Y e Z, dentro das empresas, família, sociedade, igrejas etc. Em estilo palestra show, sua fala foi alternada com a apresentação – feita por atores – de músicas de cada época. Ao final, ele explanou sobre as dificuldades dos gerentes mais velhos com as novas gerações no trabalho e sobre o casamento e a família dos novos tempos.
Na avaliação de Folle, os conflitos ocorrem porque as gerações mais velhas são mais comprometidas e muito conservadoras, mas apresentam dificuldades em lidar com as novas tecnologias. Já as gerações mais novas, vivem conectadas e dominam com grande facilidade as novas tecnologias, mas não têm muito compromisso e, a grande maioria, está endividada, no entanto é uma geração mais feliz. Para ele, para minimizar os conflitos entre as diferentes gerações é preciso buscar a conciliação. Também é necessário entender a nova forma de linguagem usada pela nova geração, adaptar-se ao mundo digital e trocar as críticas severas, feitas para a geração Z, a geração atual, por elogios. Já os mais novos devem procurar aprender com as experiências e os conhecimentos das gerações mais velhas.
Promovido pela Prefeitura de Getúlio Vargas, através da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Desporto, com apoio da Faculdade Ideau, URI Erechim e patrocínio da Sicredi Estação, o Fórum da Educação de Getúlio Vargas se estende até sexta-feira, dia 21 de julho, com uma intensa programação e conferencistas de renome nacional como os professores Dr. Gilvan Dockhorn, Dr. Thiago Ingrassia Pereira, Dr. Ivan Dourado, dentre outros.
Tendo como tema “Entre saberes e fazeres, a construção: as ferramentas, os tempos, os espaços e os artífices”, esse encontro de formação continuada, tem como proposta fazer com que os profissionais da educação se reúnam para discutir o ato educativo e pensar sobre a relação que se estabelece entre saberes e fazeres: a práxis que está em constante construção.

COMUNICAÇÕES ORAIS E OFICINAS PEDAGÓGICAS
Na tarde de quarta-feira, 19, foram apresentadas 30 comunicações orais que foram selecionadas pela Comissão Técnica, com os seguintes Eixos Temáticos: Gestão Escolar, Práticas Escolares e Processos Educativos, Educação e Diversidade e Educação e Tecnologias. A coordenação dos trabalhos foi da Prof. Dra. Mariele Zawierucka Bressan.
Na quinta-feira, 20,  durante manhã e tarde, os participantes se dividem nas 16 oficinas temáticas:  Educação Infantil – Vivenciando a linguagem oral  e escrita e a visual e artística no ambiente pedagógico da educação infantil, Ludicidade: a essência da infância, Ludicidade: instrumento de mediação entre o prazer e o aprendizado; Produção textual – O processo de produção escrita enquanto atividade constitutiva de conhecimentos; Matemática – O ensino da Matemática: desafios e propostas para os anos finais do Ensino Fundamental; Educação e Tecnologias – Educação em Rede e na Rede: espaços digitais de compartilhamentos, trocas e aprendizagem; Pedagogia de Projetos – Ensinando Matemática: Projetos Interdisciplinares; Ciências – Descobrindo os caminhos da Ciência; Educação patrimonial – Memórias e identidades: vidas extraordinariamente comuns e relações de pertencimento; Educação Física – A importância dos jogos cooperativos no processo de inclusão; Música – Musicalização na educação básica: da teoria à prática; Equoterapia – A Equoterapia como práxis transformadora; Inclusão – Fonoaudiologia na escola: abordagem nos distúrbios de fala e linguagem; Uma Livre Abordagem Sobre Musicoterapia; Educação e Diversidade - Arte e Saberes Étnicos - Abordagens Educacionais; e Técnicas de meditação – Seja Mestre se ai Mesmo: Assuma o comando da sua vida.
À noite, a acontece a Conferência: “Asas da liberdade que nos impedem de voar”, com o Prof. Dr. Gilvan Veiga Dockhorn – UFSM. Na sexta-feira, às 9h, será a vez da conferência do Prof. Dr. Thiago Ingrassia Pereira – UFFS, com o tema “Reinventando Paulo Freire na escola do século XXI”, e, à tarde, a partir das 14h, será realizada uma Mesa-redonda com o temática “Entre saberes e fazeres, a construção: as ferramentas, os tempos, os espaços e os artífices”, com os conferencistas: Prof. Dr. Ivan Penteado Dourado – UPF; Luis Loiran Onofre Junior – Aluno da EMEF Pedro Herrerias e Prof. Esp. Lisiane Wietchikoski – Diretora da EMEF Cônego Stanislau Olejnik. Este momento será coordenado pela Prof. Ms. Jacqueline Raquel Bianchi Enricone – da URI Erechim.

No encerramento, que está marcado para as 16h30min, será lida a Carta Compromisso da Educação, uma produção conjunta com todos os participantes do Fórum da Educação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário